Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Cantor Belo chora nas redes sociais ao sair da prisão - Princesa Fm 91,7

Fale conosco via Whatsapp: +17991895854

No comando: BOM PAPO COM CAFÉ

Das às

No comando:

Das 5:00 às 7:30

No comando:

Das 7:30 às 9:00

No comando:

Das 9:00 às 13:00

No comando:

Das 13:00 às 16:30

No comando:

Das 16:30 às 19:00

No comando:

Das 19:00 às 21:00

Cantor Belo chora nas redes sociais ao sair da prisão

 

Solto na manhã de quinta-feira, 18, após ter sido preso em uma investigação sobre um show dentro de uma escola pública no Complexo da Maré, o cantor Belo se emocionou nas redes sociais e chorou.

“Essa mensagem é um agradecimento não só pelas inúmeras mensagens de apoio no dia de ontem, mas pelo voto de confiança que recebi de milhões de brasileiros que conhecem e confiam no meu trabalho e na minha verdade há quase trinta anos”, escreveu em seu Instagram.

“Continuo à disposição da Justiça, agora em liberdade, e tenho fé que vamos superar juntos esse momento ruim. Em breve, estaremos todos de volta ao trabalho e vamos nos encontrar novamente nos palcos”, completou no texto.

Entenda o caso

O cantor Belo foi preso no inquérito que apura a realização de um show no Complexo da Maré, na zona norte da capital fluminense. A apresentação contou com a presença de milhares de pessoas em meio à pandemia do coronavírus.

O artista foi solto após a Justiça do Rio de Janeiro aceitar um pedido de habeas corpus da defesa dele. Mesmo solto, o cantor vai responder pelos crimes de epidemia, infração de medida sanitária, invasão de prédio público e organização criminosa.

A decisão do desembargador Milton Fernandes de Souza, do Tribunal de Justiça, saiu durante a madrugada. O magistrado alegou que a representação da Polícia Civil pela prisão só aconteceu quatro dias após o evento e que o próprio Ministério Público deu parecer afirmando que não havia urgência para a decretação de prisão preventiva pelo Plantão Judiciário.

O desembargador finalizou a decisão dizendo que o juízo natural irá apreciar a questão com mais elementos. A Polícia Civil investiga se o chefe do tráfico de drogas da comunidade autorizou a invasão do colégio.

O evento foi realizado no interior de uma escola estadual na favela Parque União, no dia 12, e não teve autorização da Secretaria Estadual de Educação. Segundo o delegado Gustavo Castro, responsável pelo caso, o evento foi custeado pelo tráfico de drogas local. As salas de aula foram usadas como camarotes.

Na quarta-feira, 17, o cantor prestou depoimento na Delegacia de Combate às Drogas. Na saída da unidade, Belo afirmou que não sabe o que fez de errado já que só estava trabalhando. A Polícia Civil cumpriu outros três mandados de prisão preventiva, além de cinco de busca e apreensão.

Uma das buscas foi realizada na sede da produtora Série Gold, organizadora do evento, também em Angra dos Reis. Além do artista, dois produtores do evento também foram presos.

Durante a ação, a Justiça decretou o bloqueio das contas bancárias dos investigados. O chefe do tráfico do Parque União, Jorge Luiz Moura Barbosa, o Alvarenga, também alvo da operação, segue foragido.

Na casa de Belo, na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro, os agentes apreenderam duas armas com os registros vencidos, R$ 40 mil, além de euros e dólares, também em espécie.

Deixe seu comentário: